terça-feira, 6 de março de 2012

Mártires Felizes


“...e ele (Jesus) começou a ensiná-los, dizendo:  ‘Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, pois deles é o Reino dos céus. Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa os insultarem, perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a recompensa de vocês nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês’. Mateus 5:2, 10-12

E ele (Jesus) lhes responde: “...Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra". Atos 1:8

A palavra Testemunha em At 1:8 em grego significa mártire. Isso me lembra do seguinte episódio com o mártire cristão Policárpio de Esmirna.

"De novo o juiz insistiu, dizendo-lhe que jurasse pelo imperador e maldissesse a Cristo ficaria livre. Mas Policarpo respondeu: Vivi oitenta e seis anos servindo-lhe, e nenhum mal me fez. Como hei de maldizer a meu rei, que me salvou?"

Ante a firmeza do ançião, o juíz ordenou que Policarpo fosse queimado vivo e toda a população saiu a apanhar ramos para preparar a fogueira.


Atado já em meio a fogueira, e quando estavam a ponto de acender o fogo, Policarpo elevou os olhos ao céu e orou em voz alta: Senhor Deus Soberano (...) dou-te graça, porque me consideraste digno deste momento, para que, junto a teus mártires, eu possa ser parte do cálice de Cristo (...) Por isso te bendigo a te glorifico. (...) Amém.


Assim entregou a vida aquele bispo ancião quem anos antes, quando ainda era jovem, o ancião Inácio havia dado conselhos acerca de seu trabalho pastoral e exemplo de firmeza em meio à perseguição".
Fonte: A era dos Mártires de Justo Gonzales, pág 70, 71 e 72.

Por isso, digo, baseado em Atos 1:8, que só é possível ser testemunha, mártir e suportar toda e qualquer perseguição, calúnia, insulto, maldade por causa de Cristo e a sua justiça (Mt 5:10-12) com o coração cheio do Espírito Santo de Jesus. Isso é ser feliz. E isso é extremamente contra-cultura mundana.

E nós, como reagimos diante de todo sofrimento gerado por causa da justiça do Reino de Deus?

Pense nisso!

Em Cristo, aquele que deu sua vida voluntariamente na cruz por causa da justiça do Reino de Deus

Jairo Filho

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Viva de mãos abertas




  ‎"Ou quem primeiro deu a ele para que lhe venha a ser restituído? Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!" Romanos 11:35

"Quem primeiro me deu a mim, para que eu haja de retribuir-lhe? 
Pois o que está debaixo de todos os céus é meu". Jó 41:11

O verdadeiro discípulo de Jesus vive de mãos abertas.

(1) Mão aberta porque o solo da palma da mão não produz nada por si mesma.

(2) Mão aberta para receber todas as dádivas de Deus. Crente não vive de conquista; vive das Dádiva de Deus em Cristo.

(3) Mão aberta para não ser possuído pela "egolatria". Mão aberta para a liberdade do desprendimento de repartir, compartilhar, doar, servir o PÃO NOSSO de cada dia que é providenciado e doado pelo PAI NOSSO para ser doado aos necessitados.

(4) Mão aberta para ser mordomo de uma consciência de que não é dona de nada. Quem vive de mão aberta jamais exigirá de Deus "restitui, me dá de volta o que é meu". Quando Deus quiser tirar de nós, devolveremos com renúncia e ações de graças para a glória de Deus, o dono de nossas vidas. Para quem vive em Cristo não perdas, há consagração. As mãos abertas são elevadas aos céus em adoração que diz: "...o SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR!" Jó 1:21.

É fácil escrever isso. Dificil é viver de mãos abertas.


VIVA DE MÃOS ABERTAS.

Pensei nisso!

Em Cristo, que morreu na cruz de braços e mãos abertas como a dádiva de Deus para todos nós

Jairo Filho

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Produção Teológica

Esse vídeo me inspirou a escrever isso:

Uma coisa é produzir teologia numa biblioteca na torre de marfim. Outra coisa é produzir teologia numa emergência de hospital ou morando numa favela do Haiti.

Uma coisa é produzir teologia no status do ar condicionado do gabinete pastoral de uma mega igreja luxuosa. Outra coisa é produzir teologia sendo missionário em países inóspitos, ter casa queimada, filha estuprada e ser perseguido pelo governo de seu país por ser cristão.

Uma coisa é produzir teologia como hobby, com bom salário no bolso, conta bancária obesa, boa aposentadoria garantida, casa confortável, família saudável. Outra coisa é produzir teologia com malária por ser missionário na Amazônia sustentado com merrecas e vê a família passando muitas necessidades.

Uma coisa é produzir teologia quando se tem uma carreira ministerial de sucesso e fama – saiu do seminário direto para mega igrejas com ótimos salários – onde se é o patrão da igreja. Outra coisa é produzir teologia sendo missionário que renuncia tudo para pastorear por amor uma pobre congregação num povoado onde ninguém quer morar; e ainda, é pressionado pelos patrões executivos da fé para fazer a igreja crescer custe o que custar e policiado pelos fariseus quando pregar, sofrendo ameaças constantes de ser demitido se não fizer de acordo como ordena o clero.


Uma coisa é produzir teologia exclusivamente intelectual, transcendental e moral vivendo num país riquíssimo da Europa. Outra coisa é produzir teologia sobrevivendo nos lixões da Somália ao ver gente morrendo de fome e de AIDS, agonizando de dor com as mais terríveis enfermidades; ou ver o esse povo miserável vítima das injustiças, violências e opressões dos poderosos; ou ver as lágrimas das crianças vendidas ao mercado da pedofilia e tráfico de prostituição de países de primeiro mundo.

Uma coisa é produzir teologia e suas convictas elucubrações doutrinárias e dogmáticas num blog como esse. Outra coisa é produzir teologia no chão da existência com o Verbo encarnado na vida real.


Uma dica: A verdadeira produção teológica deve ser feita de olho no autor e consumador de nossa fé: JESUS CRISTO, A VERDADE ABSOLUTA.

Para insitgar mais essa reflexão veja essa palestra da escritora nigeriana Chimamanda Adichie falando sobre o perigo de uma única história e faça as devidas comparações com as nossas produções teológicas.


Em Cristo, o verbo encarnado de Deus na vida real

Jairo Filho

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Carta de boas vindas ao meu filho Marco Antônio


Meu filho amado e querido, Marco Antônio, seja bem vindo!

Meu filho, você nasceu hoje, 17 de outubro de 2011, em Guarapuava-PR, às 18:38hr, com 3.400kg e 50cm. 

Há muito tempo estávamos te esperando em amor. Você foi sempre desejado e amado antes mesmo do teu nascimento. Você é fruto do amor entre eu e sua mãe. Isso aconteceu porque nós recebemos tanto amor de Deus em nossos corações que nosso amor gerou você. Agora somos uma família gerada no amor eterno de Deus.

Nosso querido filho, você é herança do SENHOR (Sl 27) para nossas vidas. Isso quer dizer que você não é nossa propriedade; você pertence ao SENHOR. Você é filho de Deus. Ele é o nosso Pai amoroso. Nós somos apenas mordomos que cuidaremos em amor de você enquanto Deus assim permitir. Você foi criado por Deus, viverá para ele, e quando Deus quiser, você voltará para Ele. Enquanto isso, te ensinaremos o caminho onde você deve andar; este caminho é JESUS CRISTO.

Aprendi que quando nasce uma criança é sinal de que Deus ainda não desistiu da humanidade. Você nasceu como sinal de que Deus está dando oportunidade de arrependimento e salvação ao mundo; salvação esta, exclusivamente, por meio de Jesus. Por isso, creio que você nasceu para ser mais um pregador do evangelho que viverá e levará sua geração ao arrependimento e fé no Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Saiba que teu nascimento foi possível graças a GRAÇA DA CRUZ. Deus decidiu te redimir antes da criação do mundo quando o cordeiro eterno de Deus, seu Filho Jesus Cristo, foi morto desde a eternidade. A maior prova do amor de Deus está em te criar, mesmo sabendo que teu nascimento custaria o sacrifício do seu Filho unigênito, pelo fato de que você é pecador desde o ventre. O salmista diz: “Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe”. (Sl 51:5). Isso significa que tua concepção e nascimento não é fruto do acaso ou castigo da vida; pelo contrário, você é amado e eleito por Deus em Cristo Jesus antes da criação do mundo sem mérito algum em você. Você nasceu, viverá e morrerá em Cristo para a vida eterna porque a cruz de Cristo garante de uma vez por todas o perdão de todos os teus pecados e a reconciliação com Deus por toda eternidade. Aleluia! Creia nisso sempre.

Marco Antônio, nunca esqueça: você nasceu para ser semelhante a Jesus. Este é o verdadeiro sentido de nascer, viver e morrer. Isto é: Nascer de novo, ser uma nova criação em Cristo Jesus. Quando você vive para ser semelhante a Jesus você se aproximará cada vez mais do tipo de pessoa que Deus pretende que você seja. Ser semelhante a Jesus é o ideal de Deus para todos nós. Por isso, você nasceu para ser semelhantes a Jesus. E enquanto viver, seja semelhante a Jesus. Nunca esqueça disso!

Deus seja louvado pela tua vida, meu filho. Eu e sua mãe dependeremos sempre da sabedoria do evangelho de Jesus para te criar em amor por toda a vida.

Receba um beijão dos pais mais felizes do mundo por ter você como filho

Em Cristo, que pela sua eterna cruz nos deu você como Herança do Senhor

Jairo e Lorena

Guarapuava-PR, 17 de outubro de 2011.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Oração de um teólogo liberal

Bultmman e Gondim são meus pastores e ditadura de dúvidas não me faltará.

Deitar-me faz em poesias do teísmo aberto, guia-me mansamente à pluralidade religiosa pagã.

Ecumeniza minha alma; guia-me pelas veredas da relativização da verdade, por amor a todo e qualquer nome dado entre os homens.

Ainda que eu ande pelo vale hermenêutico do método gramático-histórico, não temerei mal algum, porque o método histórico-crítico está comigo, os mitos e histórias profanas por velhas caducas me consolam.

Preparas uma controvérsia perante mim na presença dos meus inimigos reformados e conservadores, unges a minha cabeça com incredulidade, a minha caipirinha transborda.

Certamente o universalismo e o ecumenismo me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei nas bibliotecas mascaradas de ONG encharutadas de boemia por longas noites
Related Posts with Thumbnails